Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 20/01/2011 11:16:26

Tema é o cumprimento de medida socioeducativa. Adolescentes da unidade feminina participaram de oficina sobre cinema

 

Nas instalações da unidade feminina de internação (UI) e internação provisória (UIP) Chiquinha Gonzaga, na Capital paulista, a partir da próxima semana, entre 24 e 28 de janeiro, acontecem as gravações do curta-metragem Aguasala, com direção e roteiro de Cristiane Arenas.

 

Antes, entre os dias 17 e 18, as 102 jovens da UI e da UIP participaram de uma oficina de audiovisual, conduzida por Cristiane e pelo diretor Jefferson De. Elas conheceram os processos que envolvem a gravação de um filme: produção, direção, equipamentos, atuação dos atores, entre outros.

 

“Foi uma atividade inédita na unidade”, afirma a diretora Maria Isabel Melo. “As adolescentes ouviram tudo em absoluto silêncio, muito concentradas”, complementa.

 

Atriz do curta conversa com adolescente internada da unidade Chiquinha Gonzaga“Nossa intenção é que as meninas trabalhem atrás das câmeras, para terem a vivência de uma produção cinematográfica”, adianta Cristiane Arenas. Na última terça-feira (18 de janeiro) ela e parte do elenco estiveram na unidade para conversar com as adolescentes e ensaiar as primeiras cenas.

 

A ideia do curta nasceu há cerca de um ano e meio, quando Cristiane escreveu o roteiro. A diretora conta que seu envolvimento com os temas relacionados à criança e ao adolescente surgiu há aproximadamente cinco anos, quando trabalhou em um projeto da Fundação Itaú Cultural direcionado a meninos e meninas em situação de rua.

 

“O projeto representará apenas um pouco daquilo que as garotas vivem no seu cotidiano da medida socioeducativa, pois é uma realidade difícil”, explica.

 

Com cerca de 15 minutos, a história aborda a vida da adolescente Ana, que se envolve em um ato infracional e recebe como sentença o cumprimento da medida socioeducativa de internação. A protagonista será representada pela atriz Eunice Baía, que ficou nacionalmente conhecida pelos longas-metragens Tainá – Uma aventura na Amazônia e Tainá – A aventura continua.

 A atriz Eunice Baía (de blusa preta, sentada à esquerda) viverá a protagonista Ana

As cenas serão rodadas nos espaços usados pelas jovens, como quadra poliesportiva, refeitório e quartos. Por questão de preservação de imagem, elas não integrarão o elenco.

 

A diretora diz que a oficina e o curta-metragem são as primeiras iniciativas de aproximação com a Fundação CASA. “Pretendemos estender parceria, proporcionando vivências temáticas e desenvolvendo o potencial dessas meninas.”