Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 06/04/2020 16:29:46

Objetivo é evitar deslocamentos e contribuir na batalha contra o coronavírus

A Divisão Regional do Vale do Paraíba (DRVP) e a SAS Brasil, associação sem fins de lucro, fecharam um acordo para fazer atendimento médico gratuito e à distância para os jovens que cumprem medida socioeducativa na instituição durante a epidemia do coronavírus no país.

Os atendimentos serão feitos a partir da próxima quarta-feira (08 de abril), para os centros da de oito municípios do Vale do Paraíba.

 O SAS Brasil atua levando atendimento médico especializado a cidades carentes e distantes de grandes centros urbanos, com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Mais de 60 mil pessoas em todo o país já foram beneficiadas desde 2013. “Para nós, distâncias nunca foram um problema”, diz Sabine Zink, diretora do SAS Brasil. “Estamos acostumados a chegar até onde pouca gente chega”.

O acordo firmado entre as entidades prevê que médicos do SAS Brasil atendam cerca de 363 adolescentes, além dos funcionários, de 12 centros de atendimento socioeducativo localizados nos municípios de Arujá, Caraguatatuba, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jacareí, Lorena, São José dos Campos e Taubaté. Os atendimentos serão realizados remotamente, garantindo a segurança tanto dos adolescentes e quanto dos profissionais de saúde do SAS Brasil e da Fundação CASA.

Serão três modalidades de atendimento, disponíveis para os jovens e para os profissionais atuantes nas unidades, mesmo que trabalhando remotamente a partir de casa: teleconsultas (realizadas entre o profissional da saúde e o paciente, que pode estar acompanhado por um funcionário do local), teleorientação (para dúvidas frequentes e aconselhamento sobre riscos e procedimentos relacionados à saúde, higiene, cuidados etc.) e telemonitoramento (para os casos específicos de suspeita de contágio pela covid-19 mas que não tenham indicação de internação). Os atendimentos contarão com médicos de ao menos cinco especialidades: ginecologistas, pediatras, oftalmologistas, dermatologistas e infectologistas.

 

Projeto SAS Brasil Coronavírus


Desde o início da epidemia do coronavírus no país, o SAS Brasil tem oferecido alternativas para levar atendimento médico e psicológico a comunidades carentes, de forma a evitar que as pessoas saiam de casa e se dirijam a hospitais ou postos de saúde, onde há risco elevado de contaminação. Com a regulamentação pelo Ministério da Saúde, no fim de março, do uso da telemedicina no enfrentamento da epidemia, a associação desenvolveu um sistema próprio de prontuário para a realização das consultas, seguindo protocolos de segurança de dados e de informação. “Entendemos que esse é um momento excepcional para disponibilizar atendimento médico à distância, reduzindo assim as chances de exposição para toda a população”, diz a coordenadora de Saúde do SAS Brasil, a médica Adriana Mallet.

De acordo com a diretora da Divisão Regional do Vale do Paraíba, Marcela Rehder, outro ponto positivo da parceria é possibilitar o atendimento médico sem necessidade de deslocamento. “Assim, diminuímos os riscos de um possível contágio dos adolescentes, bem como contribuímos com a quarentena e a luta contra o coronavírus”, destacou.