Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 27/10/2010 18:44:08

ESCOLAR_ALUNO_UNIVERSITARIO_INT_FAZ_DO_CARMO_281010_EL_111_WEBTodos os adolescentes da Fundação CASA vão à escola, tendo acesso ao Ensino Fundamental e Médio.  Existem resoluções da Secretária de Estado da Educação, específicas para o desenvolvimento da escolarização para todas as modalidades de internação, conforme determina o ECA e as Resoluções da Secretaria de Estado da Educação.

 

Para que haja garantia da escolarização, a Fundação CASA firmou parceira com a Secretaria Estadual de Educação, que determina as escolas vinculadoras de acordo com a localização dos centros socioeducativos e das escolas estaduais. Estas matriculam os jovens que cumprem medida socioeducativa de internação e dispõem de professores não efetivos para darem aulas nos centros da Fundação CASA.

 

Ao chegar à Fundação, o adolescente passa por uma avaliação diagnóstica com o objetivo de verificar e identificar a real condição do aluno.

 

Projetos específicos

 

Os jovens que estão em Internação Provisória (com permanência de até 45 dias) integram o Projeto Educação e Cidadania (PEC) –  proposta de escolarização disseriada, baseada numa Pedagogia de Projetos, criada e desenvolvida pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

 

A maioria dos adolescentes que cumprem a medida socioeducativa de internação têm defasagem escolar em relação à idade. Por isso, eles são inseridos no Projeto Revitalizando a Trajetória Escolar (PRTE), que busca o desenvolvimento de habilidades e competências por meio da contextualização do ensino, em que o aluno é incentivado a analisar, comparar, confrontar e sintetizar o conhecimento.

 

As salas de aula nos centros são dividas por níveis:

- Ciclo 1: da 1ª a 4ª série ou 2° ao 5º  ano;

- Ciclo 2: da 5ª a 8ª série ou 6° ao 9º ano;

- Ensino médio 3: da 1ª a 3ª série do ensino médio.

 

Para se ter uma ideia, somente em 2011, 111 jovens participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Historicamente, nos últimos anos, vários jovens conseguiram acesso ao Ensino Superior, apesar de terem entrado na Fundação CASA com defasagem idade/série.

 

Formação abrangente 

 

A ação pedagógica da Fundação CASA não se restringe ao Ensino Formal. Na verdade, toda uma gama de atividades é coordenada por quatro gerências (Escolar, Educação Profissional, Arte e Cultura e Esportes) subordinadas à Superintendência Pedagógica, por sua vez vinculada à Diretoria Técnica da Instituição.

 

Portanto, para completar a formação dos jovens, são ministradas oficinas de educação profissional, arte e cultura e esportes. Cada uma destas áreas é vinculada a uma gerência específica, de modo que todos os centros da Fundação CASA falem a mesma língua no setor pedagógico, respeitadas as diferenças regionais. 

 

No caso da iniciação profissional, os cursos oferecidos seguem a vocação econômica das regiões onde os jovens moram e são atendidos, e estão divididos em oito áreas: Administração; Alimentação; Artesanato; Construção e Reparos; Telemática/Informática; Serviços (como jardinagem, corte e costura, mecânica de moto, entre outros); Serviços Pessoais — Beleza, Estética e Saúde; e Turismo e Hotelaria (Clique aqui e veja o quadro de áreas e cursos de educação profissional).

 

Faça o download das publicações sobre o acesso de jovens em medidas socioeducativas dos meios aberto e fechado à educação. Você pode mandar sugestões e contribuições sobre os conteúdos para a Gerência Escolar, por meio do formulário do Fale Conosco. Na opção assunto, escolha “Gerência Escolar” para que a mensagem seja direcionada à equipe da GESC. Participe!

“Procedimentos para a garantia de acesso à educação básica aos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas de meio fechado: orientações gerais aos servidores da SEE e da Fundação CASA”

 “Atendimento escolar a adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto na cidade de São Paulo – Aos técnicos do sistema socioeducativo e aos profissionais da Educação Escolar”