Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 25/05/2010 15:29:03

CASA promove qualificação profissional


A Fundação CASA oferece mais de 70 cursos de Educação Profissional Básica aos jovens em cumprimento de medidas socioeducativas no Estado de São Paulo.

Nos últimos quatro anos, por meio da Gerência de Educação Profissional e de parceiros, a instituição realizou 120 mil atendimentos em cursos e oficinas profissionalizantes.

 

A Gerência de Educação Profissional é vinculada à Superintendência Pedagógica

 

Atualmente os parceiros da CASA na área de iniciação profissional são a Associação Horizontes,, o Centro Paula Souza e o Serviço Nacional de Aprendizado Industrial - SENAI. Com exceção deste último, que oferece cooperação técnica, os parceiros e a Fundação atendem 1.800 turmas — cada uma é formada por 10 jovens, que podem participar de todos os cursos oferecidos.

O jovem que cumpre medida socioeducativa na Fundação CASA tem acesso à qualificação profissional em nove áreas ou arcos ocupacionais: administração, alimentação, artesanato, construção e reparos (colocação de pisos e azulejos, de gesso, texturização, pintura decorativa,hidráulica), telemarketing, informática, serviços (pintura, marcenaria, mecânica de motos, corte e costura), serviços pessoais (beleza, estética e saúde) e, mais recentemente, Esporte e Lazer (cursos formação de árbitro de futebol e monitor de Esporte e Lazer). Cada área tem uma série de cursos, o que totaliza os mais de 60 oferecidos pela instituição.

Vale destacar que a CASA recebe adolescentes com defasagem de série/idade e com histórico de abandono escolar. Em média, eles cumprem medida durante oito meses, o que exige um trabalho conjugado entre o ensino formal e os cursos de iniciação profissional.

Com carga horária mínima de 45 horas/aulas, a educação profissional abre novas possibilidades aos internos. Eles recebem informações sobre várias áreas de trabalho, fazem o primeiro contato com as profissões, para, após a desinternação, dar prosseguimento aos estudos na área escolhida.

“Organizamos os cursos levando em conta essas especificidades e também ouvimos os próprios jovens para saber quais cursos eles gostariam de fazer. Isso é importante porque dessa forma eles percebem a necessidade e importância da elevação da escolaridade”, explica a gerente de Educação Profissional da Fundação, Ana Maria da Silva.


Estrutura


A CASA comprou quase mil computadores com os programas Microsoft e Linux, disponíveis em todas as unidades, para que o adolescente tenha os primeiros contatos com a informática e faça aulas de iniciação profissional.

Para os cursos na área de alimentação, foram montadas cozinhas equipadas com fogão, geladeira, freezer , forno, chapas e utensílios diversos em todas as  unidades.

Além desse aporte, cerca de 150 profissionais da Fundação passaram por cursos de qualificação profissional em escolas do Senai e estão aptos a promover cursos de qualificação profissional básica para os adolescentes.

Outro diferencial é que os cursos da Fundação estão relacionados ao Programa Pró-Jovem Urbano e Rural, que tem como base a Classificação Brasileira de Ocupações. Assim, o adolescente recebe a qualificação profissional, descobre como funciona e se relaciona a profissão com o mercado de trabalho e quais necessidades e desafios devem ser superados.

 

Foto Iniciação Profissional 1Foto Iniciação Profissional 2Foto Iniciação Profissional 3Foto Iniciação Profissional 4Foto Iniciação Profissional 5

Clique aqui e veja o quadro de áreas e cursos de educação profissional.

 

Formação abrangente 

A ação pedagógica da Fundação CASA vai além da Educação Profissional. Na verdade, toda uma gama de atividades é coordenada por quatro gerências subordinadas à Superintendência Pedagógica, por sua vez vinculada à Diretoria Técnica da Instituição.

Portanto, para completar a formação dos jovens, são ministradas oficinas de arte e cultura, ensino formal (escolar) e esportes. Cada uma destas áreas é vinculada a uma gerência específica, de modo que todas as unidades da Fundação CASA falem a mesma língua no setor pedagógico, respeitadas as diferenças regionais. No caso da iniciação profissional, os cursos oferecidos seguem a vocação econômica das regiões onde os jovens moram e são atendidos, e estão divididos em oito áreas: Administração; Alimentação; Artesanato; Construção e Reparos; Telemática/Informática; Serviços (como jardinagem, corte e costura, mecânica de moto, entre outros); Serviços Pessoais — Beleza, Estética e Saúde; e Turismo e Hotelaria (Clique aqui e veja o quadro de áreas e cursos de educação profissional).