Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 04/06/2019 15:23:28

Evento trouxe como tema uma fábula de Hans Christian Andersen

 

Os jovens que cumprem medida socioeducativa no CASA Botucatu participaram na última sexta-feira (31/05) de uma atividade de Contação de Histórias proporcionada por meio da Comissão de Direitos Humanos e Diversidade do centro em parceria com a Secretaria da Cultura do município.

O evento ocorreu na quadra poliesportiva, onde tatames foram espalhados no formato de U. A contadora de histórias e professora do Projeto Social da Estância Demétria, Gabriela Vallboim de Carvalho Hess, ocupou o centro e passou a coordenar a história, que contou com um enredo baseado na fantasia e improviso.

A história abordada com os jovens foi a fábula “Tudo que o velho fez, foi bem feito” de autoria do escritor dinamarquês, Hans Christian Andersen, também autor de lendas como “O patinho feio” e “A pequena sereia”.

Na história, um velho camponês e sua esposa, que se estimavam muito, tinham um cavalo e pensavam que poderiam trocar por outro animal que valeria mais dinheiro.

O velho conversou com a esposa, que apoiou a ideia do marido, dizendo que tudo o que ele faz sempre é bem feito.  Sabendo que havia uma feira na cidade, o homem levou o equino para ver o que conseguiria com o animal.

No caminho, ele avistou uma bela vaca e pensou que com ela ambos poderiam tomar leite todos os dias. Fez uma proposta de troca ao dono da vaca, que aceitou na hora, pois um cavalo vale mais que uma vaca.

Ainda a caminho da cidade, ele passou por um homem com uma bela ovelha. Pensando nas noites de frio e na lã que a ovelha produziria, o velho perguntou se poderia trocar sua vaca pela ovelha. Troca novamente aceita, o ex proprietário do animal levou embora sua nova aquisição correndo, com receio de o velho se arrepender.

Na sequência, o velho e sua ovelha passaram por um homem com um pato. Pensando na deliciosa refeição que sua mulher poderia preparar, o velho perguntou ao dono da ave se a trocaria pela ovelha. O mesmo aceitou e também se afastou rapidamente.

Logo, o velho chegou à cidade com o pato. Na entrada da vila, viu uma grande e gorda galinha. Encontrou o proprietário e perguntou se ele a trocaria por seu pato. Como das vezes anteriores, a troca foi aceita.

O camponês de aproximou da feira e logo viu um homem com um enorme e pesado saco. Ele questionou o que havia dentro e descobriu que haviam dúzias e mais dúzias de maçãs podres. Pensando na macieira que eles tinham e que havia dado apenas uma maçã, e na felicidade da esposa em ver a “colheita”, o velho trocou a galinha pelo saco de maçãs podres.

Com a troca concluída, o homem entrou em uma hospedaria para descansar. Pôs o saco com as maçãs dentro do local e, como a hospedaria estava lotada, elas logo elas começaram a explodir com o calor. Uma dupla de ingleses riquíssimos também estava na hospedaria e questionou o velho sobre os barulhos que vinham do saco. O homem contou toda a história e os ingleses morriam de rir.

Eles fizeram uma aposta: se sua mulher não brigar contigo pelas trocas, lhe damos um saco com moedas de ouro. O velho aceitou sua aposta e todos retornaram a terra onde ele trabalhava.

A esposa o recepcionou e perguntou sobre o que ele havia feito. Ele foi contando e a esposa foi comemorando a cada troca. Por fim, chegou o momento de mostrar o saco de maçãs podres. A esposa comemorou e disse: “queria fazer uma fritata com ovos e legumes para recepcionar você, mas nós não tínhamos legumes. Fui até nossa vizinha e pedi os vegetais emprestados. Ela disse que poderia ficar pois, em minha condição, não poderia devolver uma maçã podre sequer. Agora tenho um saco inteiro delas para dar para ela”, disse sorrindo.

Os ingleses, embasbacados por terem perdido a aposta, deram um saco repleto de moedas de ouro ao velho.

De acordo com a encarregada de área técnica, Terezinha de Fátima Belluta, os jovens participaram ativamente da história. “Foi tudo muito lúdico, pois eles participaram a todo o momento, questionando se deveriam realizar as trocas ou não. Eles gostaram bastante”, concluiu.