Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 15/10/2019 14:03:13

Adolescente e professora de português foram premiados com o primeiro lugar em categoria da Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa

 

Aula com professores da rede
Livro publicado com o poema

Uma das figuras centrais em toda a nossa vida é o professor. Nesta terça-feira (15/10) em comemoração e reconhecimento ao dia desses profissionais, a Fundação CASA parabeniza a todos esses verdadeiros mestres.

Ao longo do dia, vamos contar histórias de professoras que fizeram e ainda fazem a diferença na vida dos jovens que estão ou já saíram da Fundação CASA. Jovens que tiveram o apoio de professores, superaram as dificuldades e venceram na vida por meio do estudo.

Agora, vamos contar a terceira história. Tudo aconteceu no ano de 2014, no centro socioeducativo Paulista, localizado na Vila Maria, capital.

A professora de língua portuguesa, Maria da Penha Silva, escolheu lecionar na Fundação CASA pois estava disposta a mudar o mundo, acreditando no potencial de cada jovem. No caso, Lucas (nome fictício), na época com 17 anos, foi um dos que foram influenciados pelo desejo da professora.

Por meio do incentivo, ele descobriu o talento para escrever e também começou a pegar gosto pelos estudos em sala de aula.

O resultado de toda essa dedicação veio logo no final daquele ano: Lucas foi vencedor da Olímpiada Brasileira de Língua Portuguesa juntamente com a professora de português, Maria da Penha Silva.

Como prêmio, ele recebeu uma medalha de ouro, um notebook e uma impressora. A professora também foi premiada com material para laboratórios de informática.Ao total, foram mais de 53.706 textos inscritos nas quatro categorias do concurso (poema, memória literária, artigo de opinião e crônica).A professora foi uma das incentivadoras do talento do jovem com as palavras e o texto escrito por ele ficou à frente de outros 37 finalistas da categoria “Poema” do país todo.

O poema de Lucas narra um pouco do cotidiano vivido dentro da Fundação CASA e o reproduzimos aqui.

 

Vida em Transição

 

Viver na Fundação não é bom

Bom é ser livre em toda situação

Mas tenho minha opinião

Sobre esse período de transição

Que muitos dizem ser prisão.

 

Nesse lugar, maldade...

Que ao mesmo tempo é saudade

Por estar privado de liberdade

Mas tem um lado positivo

Nessa realidade

Estou me reabilitando para a sociedade.

 

Acordo e vejo grades

Meu peito dói de verdade

Só quem passou

Por isso sabe

De todas as realidades

E crueldades...

A maior necessidade

É a Liberdade!

 

Aqui lições de vida transmitem

Muitas coisas boas

Reconhecimento como pessoa

Que errar é humano

Mas aprender é a melhor coisa.

 

Atrás desses momentos tem algo impressionante

Hoje me tornei um estudante

Descobri que sou inteligente

Produzi este poema e me sinto importante.