Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 13/11/2020 19:02:20

CASAs Bom Retiro, Chiquinha Gonzaga e Ruth Pistori promoveram atividades pedagógicas com as adolescentes

 

As adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação ou que estão no programa de internação provisória em três centros femininos da cidade de São Paulo participaram, desde o final de outubro, de atividades pedagógicas sobre as eleições municipais de 2020.

As iniciativas das equipes aconteceram nos CASAs Feminino Bom Retiro e Chiquinha Gonzaga e o CAIP Ruth Pistori entre o final de outubro e esta sexta-feira (13). O objetivo foi apresentar o funcionamento do processo eleitoral, conscientizando sobre a importância desse exercício de cidadania tanto as jovens alistadas a votar quanto aquelas que não participam diretamente do pleito.

Nesta semana, entre os dias 09 e 13 de novembro, a equipe pedagógica do CASA Chiquinha Gonzaga realizou diariamente atividades com as adolescentes. A iniciativa teve material de apoio dos professores da escola vinculadora E.E. Oswaldo Cruz.

A proposta começou com as jovens no processo de aprendizagem, após discussão sobre o funcionamento do processo eleitoral e pesquisa para escolha dos seus eleitos para a capital.

Na quinta (12), nove jovens que irão votar, com idades entre 17 e 20 anos, apresentaram para outras da mesma faixa etária os candidatos a prefeito que escolheram, explicando os valores éticos, as propostas e os motivos que levaram à escolha.

As outras jovens, em seguida, participaram de uma eleição fictícia, com cédulas simuladas de papel, para escolher o candidato à prefeitura de São Paulo, com base na apresentação daquelas que realmente votarão no domingo. Elas também montaram uma réplica da urna eletrônica.

Já nesta sexta (13), foi a vez de as adolescentes na faixa etária dos 12 aos 16 anos, que não possuem título de eleitor, apresentarem jogral sobre o processo eleitoral. No final, todas assistiram ao filme “As Sufragistas”, de 2015, dirigido por Sarah Gravon, e que conta a história da luta feminista pelo direito de voto das mulheres no Reino Unido no início do século XX.

No CASA Feminino Bom Retiro, durante a última semana de outubro, a eleição de 2020 foi a pauta dos debates realizados pelo agente educacional Samuel Silva Pereira e o profissional de Educação Física Mario da Silva Pereira.

Durante um grupo temático, tanto as jovens quanto os servidores de plantão discutiram a importância das eleições, a trajetória histórica do processo eleitoral e o funcionamento do pleito. Para a eleição municipal em São Paulo, foram discutidas as propostas dos candidatos que pleiteiam o cargo máximo da Prefeitura e àqueles que tentam uma vaga na Câmara dos Vereadores.

Como vivência, a equipe pedagógica incentivou as jovens a simularem o funcionamento da Câmara de Vereadores, mostrando as responsabilidades de representantes e representados.

Internação provisória

No CAIP Ruth Pistori, na última terça (10), as adolescentes conheceram e se aprofundaram na cartilha Jovem Eleitor, elaborada pela Coordenadoria de Comunicação Social do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

Depois de aprender sobre o funcionamento do processo eleitoral, as garotas foram divididas em grupos para eleger uma candidata a prefeita. Foi elaborada a plataforma de governo, com base no ensinamento sobre as funções do cargo, para melhorias na capital paulista, seguida de votação.

O voto seguiu o rito de uma seção verdadeira, com mesárias e todos os cuidados de higiene para evitar a propagação da Covid-19. O cartório eleitoral cedeu uma cabina de votação e, excepcionalmente, o voto foi em formulário de papel.